Sete conselhos para ser feliz

Mais importante do que ter boas cartas é saber como jogar, referia o Dr. Enrique Rojas*, conhecido psiquiatra espanhol e autor de vários livros, que, no passado mês de maio, numa conferência, elencou sete conselhos com o intuito de ajudar as pessoas a percorrerem um caminho para alcançar uma maior felicidade:

  1. Capacidade de superar as feridas do passado – Uma pessoa equilibrada, madura, com um certo grau de felicidade, é aquela que vive no presente, sabendo tirar desse espaço de tempo o melhor partido. Carpe Diem, diriam os latinos. É uma pessoa capaz de superar as feridas do passado, com tudo o que isso significa, e vive aberta ao futuro.
  2. Ter uma visão positiva dos factos e das circunstâncias – Uma pessoa feliz tem a habilidade e a arte de descobrir sempre, apesar dos pesares, algo positivo em tudo. Trata-se de educar o “olhar”.
  3. Ter uma vontade “de ferro” A psicologia moderna entende que é mais importante a vontade do que a inteligência uma vez que a vontade é adquirida (não é uma herança genética) e pode “levar mais longe” do que apenas a inteligência. “A vontade é a jóia da coroa, da conduta. E aquele que a possui tem nela um tesouro.”
  4. Ter um projeto de vida coerentedesenhado a partir do que se deseja fazer pessoalmente, de forma razoável, composto de cinco realidades: amor, trabalho, cultura, amizade e lazer.
  5. Ter uma boa equação entre coração e cabeça, entre sentimentos e inteligênciaA inteligência é, entre outras coisas, a capacidade de síntese, assim como saber distinguir o acessório do fundamental, e é captar a realidade na sua complexidade e nas suas conexões. Implica a capacidade de receber informações e dar respostas eficientes e ajustadas à realidade. Ter inteligência emocional implica ter a capacidade de coordenar as ferramentas da razão e da afetividade que ajudam a determinar quais os pensamentos negativos que se infiltram e nos detêm.
  6. Ter projetos e sonhosTer sempre metas, desafios, objetivos e planos para cumprir é algo essencial para a felicidade. Uma pessoa torna-se “velha” se substitui os desafios pelas recordações, se olha mais para o passado em detrimento do futuro.
  7. Ter paz interior – Uma pessoa feliz é aquela que, a certa altura da vida, alcança a paz interior. Quando se é jovem tem-se muitas possibilidades e quer-se tudo agora, com emoções fortes. Mas quando se atinge uma certa idade, felicidade é ter paz interior. E a paz é ordem interior. E essa ordem é equilíbrio, serenidade, calma. Uma das lições é compreender os erros cometidos, aprender com eles e seguir em frente, perdoando a si mesmo e aos outros.

*Médico psiquiatra espanhol, catedrático emérito de Psiquiatria das Universidades de Extremadura e Centro Universitário de Villanueva, diretor do Instituto Espanhol de Pesquisa Psiquiátrica em Madrid e presidente da Fundação Rojas-Estapé, inaugurada em 2009 para o estudo e tratamento dos transtornos da personalidade em pessoas com poucos recursos económicos.

Fonte: https://um.edu.uy/noticias/enrique-rojas-y-siete-consejos-para-ser-feliz

Sete conselhos para ser feliz
Marcado em: